DESTAQUE

NOVO PISO: Jornalistas e patrões firmam acordo coletivo de 2017

Da assessoria Após seis rodadas de negociação, mediadas pela Superintendência Regional do Trabalho e Emprego de Mato Grosso, o Sindic...

28 de set de 2017

Sindjor/MT reitera repúdio a qualquer assédio contra trabalhadores

Cotidianamente, o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso (Sindjor/MT) recebe denúncias de jornalistas sobre patrões que estariam praticando assédio moral e/ou sexual contra seus funcionários. Sabemos que, infelizmente, algumas pessoas se utilizam de posições hierárquicas para impor situações de constrangimento e humilhação, cientes do receio dos profissionais de perderem seus empregos. 

Há anos, a entidade sindical realiza uma batalha política contra as práticas de assédio. Além disso, organiza as denúncias e encaminha aos órgãos competentes, pois a fiscalização do ambiente de trabalho foge da alçada do sindicato. O Sindjor/MT existe para defender o trabalhador e os direitos trabalhistas, não o exercício profissional, que seria atividade de um conselho e, no caso da inexistência, competência do Ministério do Trabalho.

No entanto, assédios moral e sexual são crimes, geram profundos desgastes emocionais e psicológicos às vítimas e precisam ser denunciados e investigados. O Sindjor/MT estará sempre ao lado dos trabalhadores nessa luta.

Diante do afastamento por ordem judicial do secretário de Estado de Comunicação de Mato Grosso, o jornalista Kléber Lima, na manhã desta quinta-feira (28/09), o Sindjor/MT torna público que está acompanhando o caso e defende a investigação do qual o assessor é acusado. Ressaltamos, ainda, que entramos em contato com diversos trabalhadores na ocasião, para obter mais informações e orientar o posicionamento da entidade. 

O jornalista afastado da pasta de Comunicação do governo estadual não se isenta, por ser da categoria – assim como nenhum outro profissional, do respeito aos direitos humanos, sociais e trabalhistas.

O sindicato é solidário e oferece apoio aos jornalistas denunciantes, tendo em vista a dificuldade que é expor situações como essas, correndo riscos de pré-julgamentos e até mesmo sanções por parte daqueles que dispõem do poder econômico e político e até de colegas. 

A denúncia ao assessor do governo registrou, além dos assédios, questionamentos acerca da condução da pasta do Executivo e da promoção de uma comunicação pública responsável e com foco na população. Nesse sentido, o sindicato ressalta que sempre foi um espaço aberto para promover debates sobre os temas de interesse ao exercício do Jornalismo.

A diretoria do Sindjor/MT reafirma, por fim, sua disposição para receber denúncias e encaminhá-las e ressalta que os trabalhadores não podem se calar diante de qualquer tipo de assédio e desrespeito, além da importância de se denunciar quaisquer atentados aos direitos humanos, sociais e trabalhistas.

Diretoria colegiada do Sindjor/MT

Cuiabá/MT, 28 de setembro de 2017

Nenhum comentário: